Orgânicos

A escolha pelos orgânicos
Desafios de quem opta pelo consumo de alimentos sem agrotóxicos no Brasil
Link para matéria da BBC sobre o novo Projeto de Lei que visa o aumento significativo dos agrotóxicos no Brasil

VOCÊ É O QUE VOCÊ COME


Foi por causa dessa frase que eu comecei a me dedicar, cada ano mais, à minha alimentação. Sou apaixonada por junkie food e sempre soube o quanto me fazia mal. Vinha desacelerando o consumo de carne havia alguns anos, assim como o de frituras e de comidas rápidas ou ultraprocessadas, mas ainda não havia me conectado aos alimentos orgânicos com seriedade. Até 2018.

No ano de 2018 passou a tramitar o Projeto de Lei que tem por objetivo mudar a legislação dos agrotóxicos no Brasil e isso gerou uma discussão enorme que vai desde os riscos à saúde da população, que inicia no consumo de frutas, hortaliças e legumes envenenados, passa pela extinção de abelhas (que são as principais responsáveis pela polinização), até o desgaste químico do solo, de rios e de lençóis freáticos.



Isso ligou um alerta em mim. Algo precisava ser feito para que eu não fosse afetada, ou fosse afetada minimamente por esse modelo nocivo de negócio: o agro não é pop.

O agronegócio favorece o desmatamento e a grilagem de terras, usa tóxicos nas águas e no solo e é um modelo altamente destrutivo, orientado por uma lógica exploradora da terra para produzir commodities com foco meramente econômico e PRIVADO, que é profundamente insustentável, injusto e, sim, criminoso socialmente, bem como deficitário economicamente. O agronegócio precisa acabar e ser completamente substituído PARA QUE ELE NÃO ACABE COM A GENTE e com o delicado ecossistema do planeta Terra.

No mês de junho desse ano (2018), enquanto o projeto de alteração da Lei ainda estava tramitando, decidi pôr fim às compras de hortifrutigranjeiros no supermercado e passei a consumir alimentos da feira orgânica que tem (tinha, pois com a covid-19 ela fechou) toda quarta-feira a uma quadra da minha casa. Fica mais perto do que o próprio supermercado!

Aos sábados gosto de ir à feira orgânica do Bomfim (FAE), que fica relativamente perto de casa e é super completa. Eu já tinha o hábito de fazer feira e não foi difícil me adaptar. Os alimentos orgânicos são vivos, limpinhos, cheios de amor e de sabor. Feiras orgânicas são bastante diferentes das feiras tradicionais que usam agrotóxicos na produção: não é possível encontrar sempre as mesmas variedades. É importante conhecer a época de cada hortifruti, de cada legume, respeitar o tempo de safra de cada um, assim como o tamanho e a beleza do produto.



morangos e amoras são frutas de tempos de calor
e essas bandejinhas custam R$5 cada na feira

Muita gente acaba não tendo acesso às feiras orgânicas por alguns motivos:
- as feiras geralmente ocorrem em horário comercial;
- o valor dos orgânicos é de 25 a 50% mais alto do que os produtos hortifrutigranjeiros convencionais;
- as pessoas não sabem as datas nem os locais das feiras orgânicas;
- as pessoas não conseguem se organizar para realizarem suas compras uma ou duas vezes por semana.
Entre outros motivos, esses são os principais.

Então esse bloguezinho lindo vai te ajudar a organizar as suas comprinhas orgânicas a partir de agora.



Qual é a minha intenção? Bem, a primeira é que você tenha mais SAÚDE e isso é o mote central. E a segunda é que se todos nós começássemos a comprar alimentos orgânicos, o solo, os rios e os lençóis freáticos voltariam a ter menos resíduos tóxicos; as abelhas polinizariam normalmente e toda a cadeia natural derivada dessa polinização não seria afetada; logo, todos se beneficiariam com isso. E, plus: a indústria alimentícia acabaria sendo forçada a produzir mais e mais alimentos orgânicos (e baixaria o preço deles, consequentemente). Além de tudo, comer alimento orgânico viraria MODINHA e forçaria a ciência a testar novas tecnologias mais avançadas no combate a pragas. Logo, todos desfrutariam de um mundo com melhores alimentos, menos veneno e maior taxa de sobrevivência de inúmeras espécies da fauna e da flora.

Arregacemos as mangas:

Situação número 1:
Samantha, não sei as datas das feiras próximas a mim.
Ok, primeiro, vamos mapear as feiras orgânicas de seu município, datas e horários.
Faça uma pesquisa no Google: feira orgânica (nome do município)
Sempre tem alguém falando disso. Se não existir, procure no município ao lado. Ainda não encontrou? Você deve morar em algum local pequeno ou remoto, certo? Busque vizinhos que tenham propriedades rurais e faça permutas. Negocie valor de ovos, carne, frutas, legumes e verduras. Faça uma horta (veja como fazer isso clicando aqui) e troque seus produtinhos com eles. Crie seu mundo orgânico da maneira que for possível.

Situação número 2:
Samantha, a feira acontece em horário comercial e não tenho como sair do trabalho para comprar.
Bem, eu tive uma ideia que pode parecer muito estranha, mas que pode dar certo. Contrate um serviço de motoboy. Faça sua lista de compras, indicando se a batata é branca ou rosa, se o feijão é preto ou carioca, se o arroz é integral ou branco... seja específico. Entregue um valor de 25 a 50% maior do que o valor que você gastaria em um supermercado e não esqueça de levar as ecobags (sacolas de tecido) para que o motoboy possa carregar suas compras.

Situação número 3:
Samantha, orgânico é muito caro!
Sim, é realmente mais caro. No caso de aguns produtos, como o tomate e a banana, não. Os preços equiparam-se ou são até mais baratos do que no supermercado. Mas realmente, no final, acaba saindo mais caro mesmo. Nesse ponto eu sugiro que você NÃO compre aqueles alimentos que mais possuem agrotóxicos/venenos/hormônios no mercado convencional. São eles:
- Pimentão
- Tomate
- Alface
- Morango
- Cenoura
- Uva
- Ovos
Deixando de comprar esses alimentos, você já estará dando uma boa diminuída na ingestão de químicos que fazem mal para a sua saúde.
E não vai acabar pesando tanto assim no seu bolso.

Situação número 4:
Samantha, eu não consigo me organizar para comprar apenas uma vez por semana ou duas.
Certo. Olha, eu sei que é complicado, que cada casa tem seu sistema e mexer nos sistemas já existentes é algo que deve partis das pessoas da casa e não de mim. Mas se você quer uma sugestão, faça assim: cozinhe à noite e guarde no freezer ou congelador as porções dos alimentos que cozinhou.
Por exemplo: carne de panela com cenoura, feijoadinha e arroz com alho poró.
Separei todos em potes e guardei no congelador/freezer.
Separei também algumas porções de Prato Feito, PF, com os três elementos.
E deixei mais um pouco de cada um na geladeira para consumo no dia e no dia seguinte.
Dessa maneira, eu vou guardando as refeições que faço no freezer e consigo alternar nas semanas seguintes com as refeições que vou preparando.
Ok, esse é o meu sistema. Você terá que usar de criatividade para sistematizar suas comprinhas. Os alimentos orgânicos são mais perecíveis se forem mal armazenados. Precisam ser consumidos na mesma semana. Preparando as refeições e congelando, dá para manter uma boa rotina e, de quebra, pensar na sua saúde com mais carinho.





Vou te passar quatro receitinhas aqui embaixo. Quase tudo é orgânico aqui.
As receitas são para uma pessoa e os salgados são para uma semana inteira (7 dias).
__________________________________

FEIJOADINHA ORGÂNICA

Ingredientes:
- 500g de feijão preto orgânico
- 1 pacote de linguiça do Bola picada em rodelas
- 200g de lombo suíno cortado em cubinhos
- 6 dentes de alho orgânico inteiros
- 4 folhas de louro orgânico
- 6 ramos de manjerona orgânica
- sal a gosto

Preparo:
Na noite anterior, escolha o feijão e deixe ele na água até o dia seguinte (24hs).
Coloque fora essa água quando for preparar a panela.
Ponha tudo na panela de pressão com 1,5l de água mineral.
Após a fervura, a feijoadinha fica pronta em 30 minutos :)
__________________________________

CARNE DE PANELA COM LEGUMES ORGÂNICOS

Ingredientes:
- 500g de músculo, coxão ou acem (cortes bovinos)
- 6 cenouras orgânicas cortadas em rodelas
- 6 tomates orgânicos picadinhos
- 1 açafrão orgânico ralado
- um punhado de sálvia orgânica
- 4 ramos de manjerona orgânica sem caule
- 4 cebolas orgânicas com caule (picar ou deixar inteiro)
- 10 dentes de alho orgânico (eu coloco eles inteiros)
- sal a gosto
- água mineral para cobrir (2cm acima da mistura)

Preparo:
Colocar todos os ingredientes na panela de pressão e mexer bem. Cobrir com a água.
Após a fervura, a carne de panela fica pronta em 25 minutos. :)

____________________________________

ARROZ DE ALHO PORÓ ORGÂNICO

Ingredientes:
- 2 xíc. de arroz branco orgânico
- 2 xíc. de arroz vermelho orgânico
- 1 alho poró orgânico picadinho
- 3 dentes de alho orgânico picadinhos
- noz moscada orgânica ralada a gosto
- sal a gosto
- água mineral para cobrir

Preparo:
Frite ou refogue o alho poró e o alho no arroz ainda seco, até dourar.
Coloque a água. Rale a noz moscada.
Após a fervura, aguarde 25 minutos, pois o arroz vermelho é um pouco mais demorado do que o branco.
E pronto! :)

___________________________________

CREPIOCA DE BANANA ORGÂNICA

Ingredientes:
- 2 ovos orgânicos
- 3 colheres (sopa) de massa de Tapioca
- 1 colher (chá) de farinha de banana verde orgânica
- 2 bananas orgânicas picadas
- açúcar cristal orgânico a gosto

Preparo:
Misture tudo em uma tijela, até obter um creme.
Aqueça a frigideira antiaderente e jogue a mistura dentro dela.
Aguarde de 1 a 3 minutos (fogo baixo ou médio) e vire, como uma panqueca.
Aguarde mais um minuto. Deu! :)


Ainda dá pra enrolar em uma banana esmagadinha com canela que fica um crepe recheado. Ê laiá.


__________________________________

Procure o selo Orgânico Brasil no seu supermercado. Compare preços e experimente alguns produtos: é um excelente começo rumo a uma alimentação de qualidade!






#COMPREORGÂNICO
#COMPREDOPRODUTOR
#ORGÂNICOBRASIL
#COMPREAGRANEL
#DIRETODOPRODUTOR

Ué! Cadê?
Tapioca, massas de farinha de trigo e carnes de frango, bovina e suína ainda não são fáceis de encontrar nas prateleiras de orgânicos.

Tapioca orgânica eu já vi que existe à venda na internet. Porém ainda não encontrei na feira e nem no supermercado.

Há apenas uma marca que atualmente lidera o mercado de carnes orgânicas no Brasil, a Korin de São Paulo. Zaffari tentou vender aqui por uns tempos, mas o produto não fez muito sucesso aqui no Rio Grande do Sul (#sad) e, quando retornar ao mercado gaúcho, é possível que venha em um valor exorbitante.



Minha alergia a lácteos impede que eu consuma qualquer derivado de leite. A propósito: não é tão simples encontrar leite de vaca orgânico, como se pode notar clicando nesse link aqui... mas isso não é assunto meu (risos). A propósito: você tem rinite alérgica também? Dá uma olhada nesse artigo e nesse artigo. Pode ser que o leite também seja o seu vilão - e você nem tenha se dado conta disso. Mães, amamentem seus filhos! Amamentação previne alergias.
_____________________________________

Lojas orgânicas online

_____________________________________

PREÇOS DOS PRODUTOS ORGÂNICOS EM 
PORTO ALEGRE - RS

Última cotação: abril de 2021
Feira orgânica pesquisada: FAE - Feira Agroecológica do Bonfim (aos sábados, 7 às 13hs)
Feira normal pesquisada: Largo Zumbi dos Palmares (Cidade Baixa, aos sábados, 7 às 12:30hs).

AÇAFRÃO (KG) R$ 

AMORA (BOX) R$ 5,00

AIPO (UN.) R$ 4,00

ALFACE (MOLHO) R$ 

ALHO (KG) R$ 12,00

ALHO-PORÓ (UN.) R$ 2,00

ARROZ (KG) R$ 10,00

BATATA (KG) R$ 

BATATA CARÁ (KG) R$

CASTANHA DE CAJU (KG) R$ 220,00

CHÁ MATE LIMÃO OU PÊSSEGO (1,5L) R$ 7,90

ESPINAFRE (MOLHO) R$ 5,00

FEIJÃO (KG) R$ 14,00

GALINHA CAIPIRA (KG) R$ xxxxxx (esse produto não é orgânico)

GENGIBRE (KG) R$ 

LINGUIÇA SUÍNA ARTESANAL (3 UN.) R$ 10,00 (esse produto não é orgânico)

LINHAÇA (300G) R$ 5,00

LOURO (MOLHO) R$ 3,00

MANJERONA (MOLHO) R$ 3,00

MARACUJÁ (KG) R$ 10,00

MILHO PIPOCA (500G) R$ 5,00

MORANGO (BOX) R$ 5,00

OVOS (20 UN.) R$ 15,00

PÃO DOCE VEGANO COM FRUTAS E CASTANHAS (500G) R$ 12,00

PITAYA (KG) R$ 12,00

REPOLHO (UN.) 5,00

RÚCULA (MOLHO) R$ 4,00

SUCO DE LARANJA INTEGRAL (1,5L) R$ 15,00

SUCO DE UVA INTEGRAL (1,5L) R$ 16,00

TOMATE (KG) R$ 10,00